PUBLICIDADE
Importante
Soraya Thronicke critica fala de Lula sobre CPI do 8 de Janeiro
20/01/2023 10:19 em MUNDO

A senadora Soraya Thronicke (União Brasil-MS) criticou nesta 5ª feira (19.jan.2023) o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por ter se posicionado contra a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para apurar financiadores e participantes dos atos extremistas do 8 de Janeiro. 

“Se Lula está contra a CPI dos atos antidemocráticos, os bolsonaristas estão a favor! É xadrez 4D que chama? A democracia é sagrada e devemos levar a sério a nossa responsabilidade em apurar a gravidade do ocorrido. Nenhum poder tem o direito de se furtar da sua obrigação e conosco não seria diferente. Atuaremos de forma séria, imparcial, não cederemos a pressão política ou das redes”, escreveu a senadora, autora de um dos pedidos para instalação da CPI no Senado, em seu perfil no Twitter.

Em entrevista exclusiva ao canal de televisão por assinatura GloboNews na 4ª feira (18.jan), Lula afirmou ter “instrumentos para fiscalizar o que aconteceu” no 8 de Janeiro por outras vias que não uma CPI. O chefe do Executivo disse que a instalação de uma comissão no Congresso “pode não ajudar” e “criar uma confusão tremenda”.

Para Lula, tudo o que pode ser investigado já é feito pelos órgãos competentes. O presidente destacou que a decisão de abrir uma CPI cabe ao Congresso Nacional, mas que aconselharia deputados e senadores a não prosseguirem com a investigação.

“Nós estamos investigando, tem 1.300 pessoas presas. Nós estamos ouvindo depoimento, estamos pegando telefone celular, nós temos filmagens das câmeras que mostram quem participou, quem não participou. Nós sabemos quem foi negligente, quem não foi negligente”, disse o chefe do Executivo.

CPI TERIA 130 DIAS

Em entrevista ao Poder360, Thronicke indicou que, se aberta, a CPI do 8 de Janeiro deve durar 130 dias. “Nós precisamos ter tempo para averiguar tudo. Principalmente as responsabilidades civis e criminais de financiadores e também de quem está orquestrando, orientando esses atos antidemocráticos”, disse a senadora.

Ela afirmou que a comissão deve colher as informações e fazer as oitivas de depoimentos com imparcialidade, sem “palco político” e sem revanchismo.

“Isso é muito importante deixar claro. Eu sou muito pragmática. Não tem intenção nenhuma. Isso aqui não é um revanchismo, não é nada disso e eu vou deixar isso muito claro”, declarou.

Uma CPI pode ser proposta com o apoio de ao menos 1/3 dos congressistas da Casa que for instalar a investigação (171 deputados ou 27 senadores). Além disso, é preciso ter fato determinado e prazo fechado, ou seja, um caso concreto e um período para a apuração.

O prazo, entretanto, não pode extrapolar a legislatura em que a CPI foi criada. O Congresso eleito tomará posse em 1º de fevereiro. 

COMENTÁRIOS