PUBLICIDADE
Importante
Israel assumirá controle de Gaza ‘por tempo indeterminado’, diz Netanyahu
07/11/2023 11:56 em MUNDO

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse nesta terça-feira, 2, que o exército israelense vai assumir o controle sobre a segurança da Faixa de Gaza por tempo “indefinido” após o fim da guerra contra o grupo terrorista palestino Hamas. 

“Acho que Israel terá responsabilidade pela segurança por um período indefinido”, disse Netanyahu em entrevista à emissora americana ABC News. “Vimos o que acontece quando não temos essa responsabilidade pela segurança. O que temos é a erupção do terror do Hamas numa escala que não poderíamos imaginar.” 

O futuro pós-guerra de Gaza continua a ser uma questão aberta, porém, enquanto as Forças de Defesa de Israel (FDI) avançam pelas profundezas do enclave na campanha para “eliminar” o Hamas, que governa a área há mais de 15 anos.

Netanyahu não ofereceu detalhes a respeito de uma possível supervisão israelense de Gaza após a guerra.

Israel tem insistido que não pretende voltar a ocupar o enclave, do qual suas forças saíram em 2005, mas os comentários do primeiro-ministro indicam planos para o que pode ser uma ocupação militar prolongada da Faixa, onde vivem mais de 2 milhões de palestinos. 

Anteriormente, além disso, outras autoridades israelenses afirmaram que o país precisaria manter uma presença militar em Gaza como uma barreira para proteger os civis israelenses de ataques de foguetes, bem como da ameaça de túneis escavados sob a fronteira. 

Os Estados Unidos manifestaram oposição a uma nova ocupação israelense. Além disso, lançou alertas a Tel Aviv para elaborar um plano para definir quem governará o enclave quando o Hamas for removido do do poder, para que essa responsabilidade não caia sobre os próprios israelenses. 

Alguns consideram a Autoridade Palestina, que governa a Cisjordânia com sede em Ramallah, para substituir o Hamas. No entanto, sua imensa impopularidade pode representar instabilidade. A AP controlava a Faixa, até o Hamas expulsá-la violentamente em 2007. 

COMENTÁRIOS